Passeio à região do Arquipélago de Anavilhanas

Foi há uma semana, mas antes tarde do que nunca. :-)

Em comemoração aos 10 anos da Conectiva, a equipe aqui de Manaus ganhou um passeio de barco nos dias 01-02 de outubro (mas note que foi só o passeio mesmo, porque os gastos com alimentação não couberam no orçamento e ficaram por nossa conta).

O passeio foi muito bom, sem imprevistos ou acidentes. Com exceção do Capitulino, toda a equipe de Manaus estava presente, além da irmã (Marcela) e a esposa (Élcia) do Gerson. Foram praticamente dois dias dentro do barco, que serviu de moradia durante o passeio.

Por estarmos com um barco relativamente grande e não termos muito tempo disponível, não nos adentramos ao arquipélago, o que foi um pouco frustrante. Espero ter a oportunidade de fazer mais visitas à região, pois há muito o que explorar.

As fotos já estão disponíveis na respectiva seção, mas segue uma delas abaixo, junto com um relato detalhado:
por-do-sol anavilhanas

O Sábado

Saímos de Manaus por volta de 09:00hs, após conseguir os últimos ítens da lista de compras (bola, gelo, carvão, peixe, pão, etc). O passeio começou pelo encontro das águas. Além de visualizar o “fenômeno”, aproveitamos pra pular no rio e sentir na pele, literalmente, a diferença entre os rios Negro e Solimões (a água do Rio Negro é bem mais quente, como era de se esperar).

Voltando do encontro das águas, fomos em direção a Anavilhanas. Foram 3 ou 4 horas subindo o Rio Negro, até que perdemos Manaus de vista e chegamos ao início do arquipélago. Atracamos em uma ilha onde havia uma grande clareira formada pela baixa do rio (estamos no período de secas), onde a equipe resolveu bater uma bolinha enquanto eu fazia várias experiências tentando compor boas fotos.

Voltamos para o barco, onde (após muito sofrimento tentando acender um fogo na churrasqueira) tivemos nosso almoço. A tarde estivemos em outra praia e fomos presenteados com um bonito por-de-sol, de onde tirei as melhores fotos do passeio (o difícil foi aguentar os pernilongos).

A pernoite

Depois de algum tempo conhecendo a região com o barco, resolvemos voltar para a primeira ilha, onde era simples e seguro atracar o barco. Eu, o Milton e a Marcela (irmã do Gerson que trabalha com a gente) fomos os únicos que tivemos coragem de fazer uma caminhada noturna. O resto do pessoal ficou com medo de botar o pé na lama e resolveu não sair do barco. Haviam alguns poucos relâmpagos no horizonte, mas o céu, sem lua, estava bastante estrelado.

Após cerca de uma hora de caminhada, muita lama nos pés e algumas tentativas frustradas de fotografar relâmpagos, voltamos pro barco, onde passamos a noite dormindo em redes (mas só depois de incansáveis discussões a respeito de assuntos que variaram de “o que é ser Nerd” até “compreensão do universo”, passando por histórias sobrenaturais e programação XP). :-)

O Domingo

O último dia foi de muito sol, barco e rede. Passamos a maior parte do tempo conversando e descansando, enquanto o barqueiro procurava uma praia. Mas deu tempo também de fazer uma rápida caminhada pela floresta e houve até quem pescasse algumas piranhas.

Após um almoço regado a Tambaqui e Tucunaré grelhados e um cozido de Surubim, encontramos uma bonita praia semi-deserta. O sol estava muito forte e não tivemos ânimo de sair do barco até por volta das 16:00hs, quando fomos jogar um futebol de areia e nos divertir na água.

O retorno foi tranquilo. Com a correnteza a nosso favor, voltamos sem demora a Manaus. Não me lembro do horário exatamente, mas acredito que cheguei em casa por volta das 20:30hs, louco por um banho de chuveiro e uma cama estável.

Dicas e recomendações

  • Planeje o roteiro com antecedência e acerte os detalhes com o barqueiro, para evitar perda de tempo ou desencontros;
  • Tenha repelente de insetos à mão pra hora do por-de-sol;
  • Se você não gosta de dormir em rede, leve um colchonete;
  • Dois dias é pouco tempo pra conhecer a região;
  • Um barco grande pode ter dificuldade em acessar algumas regiões do arquipélago;

Comentários

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

5 Comments

  1. Joyce Lara

    pow essa foto tah muito boa!

    Reply
  2. Darlan Bernardo

    olá, fico feliz que tenha gostado de Manaus -Am.
    o motivo da manssagem, é que sou academico de Turismo, com uma empresa para excursões regionais. como vc sitou que viria mais veses, coloco-me a disposição para um possivel apoio logistico, do aereoporto aos atrativos historico cultural e natural.
    só estou buscando uma oportunidade no mercado de trabalho em minha área.
    desde ja agradeço a atenção dispensada.
    Darlan

    Reply
  3. Werbeth Ribeiro

    Olá Ademar,

    Gostaria de parabenizá-lo pelas fotos, realmente estão D+. Fico feliz que tenha gostado da nossa cidade, e espero que continue com este trabalho, de divulgação das riquezas do Amazonas.

    Que tenhas sorte na nova jornada.

    Werbeth ribeiro

    Reply
  4. Christianne

    Olá Ademar!

    Vc parece que pegou a essência do manauara e narrou suas experiências. Ler seus comentários e ver as fotos q tirou, me dá orgulho de ter nascido nesa terra tão rica e de belezas extraordinárias!
    Com a exceção do nosso povo no cinema … tenho q concordar com vc. :))
    \o/
    Chris

    Reply
  5. Demis Fabian Linares

    Werbeth Ribeiro ou Christianne, tambem achei muito legal da parte do Ademar divulgar as riquezas da amazonia…tambem gostaria de poder estar entrando em contato com voceis para conhecer melhor a cidade de manaus, regiao e costumes… acho que futuramente tambem irei fazer para desta comunicade amazonense… Gostaria se possivel dos e-mail para contato….

    abraço

    Demis

    Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *