Últimos dias em Angola II: Ninguém…. Ninguém…

Confira o post inicial: Viagem à Angola e África do Sul com o índice de todos os relatos da viagem.

De todos os dias que passamos em Angola, um deles foi especial pois foi o dia em que conferimos de perto como é viver na periferia de Luanda. Foi uma grande experiência, que tentamos relatar abaixo (post escrito em conjunto com minha esposa Viviane).

Na quinta-feira 13 de dezembro de 2007, fomos visitar duas simpáticas madres da Pastoral da Criança (Missionárias de Santa Terezinha): a Irmã Socorro e a Irmã Graça, que trabalham no bairro Palanca. Nosso interesse era conhecer um pouco do trabalho delas, da realidade da periferia, visitar algumas creches e, quem sabe, ajudar de algum modo.

Chegar até a casa das madres não foi fácil. Palanca é um bairro muito pobre e com pouca infra-estrutura. Como estávamos no início do período de chuvas, algumas ruas estavam cheias de uma mistura de lama, lixo e esgoto (o terreno é argiloso e não há rede de escoamento de água). Mesmo estando com um carro 4×4, ficamos muito apreensivos ao encarar alguns trechos, pois não tínhamos certeza se conseguiríamos chegar do outro lado. Felizmente deu tudo certo (4×4 rulez) e chegamos sãos e salvos ao nosso destino.

As madres estavam nos aguardando. Foram muito atenciosas e já tinham um roteiro pronto pra nossa visita. Pegamos o carro e nos dirigimos até a sede da igreja, onde estacionamos e tendo a Irmã Socorro como nossa guia, caminhamos pelo bairro. Tivemos a oportunidade de conversar com vários moradores e conhecer um pouco do sofrimento do dia-a-dia, das tradições e da cultura Angolana. Ficamos particularmente chocados ao ver uma família vivendo em um terreno totalmente alagado com lama na altura do joelho e ao ouvir relatos de que em muitas casas (senão a maioria) quem é responsável pelo sustento é a mulher – os homens acabam tendo várias famílias. Embora as dificuldades fossem muitas, as pessoas com quem conversamos estavam sempre sorrindo e foram muito simpáticas conosco.

Típica mulher angolana, dedicada ao trabalho e chefe da família

Típica mulher angolana, dedicada ao trabalho e chefe da família

Ao chegarmos na creche as crianças estavam se preparando para uma festa de Natal e encerramento das atividades do ano. No início algumas delas estavam um pouco tímidas com nossa presença, mas em poucos minutos a Viviane já estava brincando, cantando e tirando fotos com todas. Foi muito bom interagir com as crianças e uma grande alegria pra Viviane que é professora aqui no Brasil e é fascinada pela África.

Viviane cantando com crianças em uma creche

Viviane cantando com crianças em uma creche

Andando pelas ruas encontramos uma pequena feira (comércio de rua é muito comum em Luanda). Não é fácil fotografar ambientes abertos em Angola, mas com a intervenção da madre, que explicou que éramos amigos (brasileiros, turistas, não jornalistas e nem sensacionalistas), conseguimos tirar algumas fotos (com direito a pose, veja abaixo).

Comércio de rua em Luanda

Comércio de rua em Luanda

Ao retornar pra sede da igreja, nos deparamos com uma cena incrível: um “mar” de mulheres com roupas típicas participando de uma cerimônia religiosa em um bosque. Elas cantavam com alegria e uma harmonia natural. Mesmo não compartilhando da mesma religião, nos aproximamos e fomos contagiados pela emoção e fé daquelas mulheres. É difícil achar palavras pra descrever a cena, mas é suficiente dizer que não conseguimos conter as lágrimas naqueles poucos instantes em que as acompanhamos.

Cerimônia religiosa em Luanda

Cerimônia religiosa em Luanda

Aliás, veja o vídeo abaixo e entenda o porquê do título desse post. :-)


Cerimônia Religiosa em Luanda – Angola (Ninguém… Ninguém…) from Ademar Reis on Vimeo.

Eram nossos últimos dias em Angola e ficamos muito felizes por ter um dia inesquecível, com experiências que ficarão pra sempre guardadas em nossa memória. Testemunhamos a triste realidade dessas pessoas, mas ao mesmo tempo vimos que elas não perdem sua esperança e fé de que as coisas vão melhorar.

Nossa passagem por Angola estava chegando ao final. Foi ótimo passar dias em tão boa companhia e esperamos que nossa estada tenha contribuído de algum modo pra ajudar esse povo que tanto merece uma vida melhor. No domingo fomos pro Aeroporto, era hora de ir de férias pra África do Sul…

Comentários

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

16 Comments

  1. Pingback: Viagem à Angola e África do Sul | blog.ademar.org

  2. Barbeita

    Véio, du kct (como o blog é familiar não vou colocar na lingua carioca)! A foto mais maneira foi da Viviane enturmada com a gurizada. []´s p/ vcs!

    Reply
  3. Vicente

    ninguem merece? dizes isso com base em ? qual o teu fundamento ?
    conheces a historia deste pais ? ou é pura ingenuidade e arrogância, a qto tempo o brazil está independente e sem guerra pra atrapalhar, olha o nivel de pobreza e delinquência no teu país, se lá estivesses tão bem e folgado não virias pra cá facturar para melhorar a vida.

    porque só mostras coisas negativas de Luanda, tudo o resto que o Governo está fazer investimentos, recontrução voce não cita nem fotografa.

    temos um proverbio que diz ” o macaco só olha pro rabo do outro”, pra mim isto cheira inveja e falta de gratidão pelo acolhimento que este humilde povo lhe deu.

    resolve primeiro os problemas do teu pais, e depois critica

    Reply
    1. ademar (Post author)

      Vicente, eu realmente não entendi seu ponto. Não sei de onde você tirou a frase “ninguém merece”, mas ela certamente não consta em qualquer lugar do blog. O título desse post (“Ninguém… Ninguém…”) é uma referência à música que as angolanas cantam no vídeo, como escrito no texto.

      Dos 9 posts que tenho com a tag “Angola”, 7 são totalmente positivos (como este), elogiando a força e alegria do povo angolano e mostrando o que está sendo construído em Luanda. Confira por você mesmo.

      É uma pena que seu preconceito com estrangeiros seja tão forte que você consiga enxergar coisas ruins onde elas não existem…. Como já diz o ditado, “a beleza está nos olhos de quem vê”. Infelizmente, a feiura também.

      Reply
  4. Douglas

    O Bairro Palanca praticamente é um retrato de muita periferia do Brasil, com uma diferença o Brasil não passou por uma Guerra.

    Reply
  5. Priscila

    A maioria das fotos se parecem muito a realidade que vivemos aqui no Brasil.

    Reply
  6. Ivanilson

    Acho que a principal diferença é essa.
    Eles passaram por uma guerra (não temos a dimensão do que é viver com medo de morrer a qualquer hora numa guerra).

    Reply
  7. danielemos

    olha querida eu sou angolano não sou de luanda mas do interior,eu espero que não fique chocada com algunas comenterios de alguns dos meus compatriotas,olha se voce perguntasse em quem eles votar nas proximas eleiçoes concerteza eles te dirão com toda força JOSE EDUARDO DOS SANTO,pra vc ter uma ideis a familia desse dito presidente quando fica duente eles não se tratam em angola preferem viajar pra europa ate pra um simples exame de merda deles……isso tudo porque a saude do meu pais é ruim,,,,essa gente não sabe o que é protestar contra um presidente corrupto porque se fizerem isso eles são mortos em angola niguem tem voz pra infrentar o governo somos escravos de nos mesmo,o que te pareceu absurdo la ,pra eles é normal porque estão acostumados assim ,em uma declaração do presidente ele disse que o angolano gosta de viver assim,é totalmente diferente do seu caso o que vc viu la se fosse aqui no brasil vc ja teria denuciado mas la vai denuciar pra quem????tudo pura mafia ninguem vai te dar ouvidos,sabemos que no brasil existe pobreza mas as pessoa lutam com os curruptos denuciam pelomenos isso fazem,
    nos angolanos estamos jogados a sorte…
    obrigado pelas suas imagens!!!!!!!!!!!!

    Reply
  8. Vicente

    Na Paz Ademar………….

    sinceras descupas, tratou-se de um mal entendidol, vejo que confundi v/intenção.
    Na boa cara. lembranças a Viviane.

    Reply
  9. Sara

    Olá!!
    Sou angolana e surfando na net… acabei por encontrar o teu blog…
    Muito interessante, achei as tuas opiniões equilibradas e sensatas… sem exageros e realistas!!
    O post sobre a energia electrica, fez-me rir imenso…pois é mesmo a cara do nosso país! Tal como a alegria, vivacidade, fé e esperança!
    Tb já tive no Brasil várias vezes; conheço o Rio, Sao Paulo, Recife, Porto de Galinhas, Salvador… e posso dizer que temos muito incomum ( coisas boas e coisas más).
    Espero que passar um tempo aqui tenha sido proveitoso e gostaria de dizer que gostei muito desse post… Muito sutil a sua forma de descrever o Palanca… não sei se eu teria sido tão generosa! hahahahhaha

    Reply
  10. Maria Ana

    Olá Ademar…nunca estive em Angola, minha intenção é realmente até o final do ano está naquele país. Tenho vários amigos angolanos, mas daquilo que conheço sei verdadeiramente que lá habita um povo simples e muito acolhedor. Sei que o tempo que vou ficar lá será muito proveitoso e ao mesmo tempo trará contribuições significativas em minha vida. Desejo lá estar e também deixar minha contribuição para aquele povo alegre e maravilhoso…
    Grande abraço.

    Reply
  11. henrique

    ola!!! sou angolano nao tenho muito pra fala pk ja xtou cansado de fela so vou conconrdar com a(o) danielemos muito bem xpero ki vc continua com esse seu pessamento so assim esse pais vai mudar com jente ki pença muito bem msm

    Reply
  12. Rosa Maria

    Olá Ademar e Viviane,
    Estava navegando na internet e cheguei a vcs…primeiramente gostaria de agradecer de compartilhar essa viagem conosco…realmente foi muita gentileza. Gostaria de saber alguns detalhes sobre Luanda…estou estudando algumas propostas de trabalho lá, juntamente com meu marido, e aceitando algumas delas teremos que nos mudar por algum tempo e teremos que levar crianças (2). Então se vc pudesse me responder algumas perguntas agradeceria. Meu e-mail ficou cadastrado. Ele tbm é meu MSN. Agradeço a vcs mais uma vez. Abraços!

    Reply
    1. Isabel

      Olá Rosa Maria,
      Acabei de receber uma proposta(Secretária em uma empresa de Construção Civil) para ir para Luanda e eu gostaria muito de saber se o Ademar te passou algumas informações e se por acaso Você já está aí em Luanda?
      Creio que a troca de informações sobre a realidade do País, em termos profissionais é sempre válida!
      Aqui em nosso País existem Leis, princípios e nunca temos noção de como será esta área em outro País, não é mesmo?
      Por isso é sempre bom saber da boca de quem já foi ou de quem já está lá!
      Creio que sempre devemos perguntar Qual é a maior dificuldade encontrada, na adaptação em Luanda?
      A alimentação?
      O clima?
      O custo de vida?
      A empresas de lá, diferem muito no que se diz respeito a leis trabalhistas(Benefícios? Nível salarial aos estrangeiros? Pagam horas-extras?)?
      Bom Querida, espero que Você possa me responder o mais breve possível, tudo de bom para Você e sua Família! Que Deus os abençõe em Todo o tempo!!!
      Até breve, Isabel:-)

      Reply
  13. Jordania Santos

    Bom, primeiramente, adorei o Blog, adoro viagens, amo fotos, e meu sonho assim como o da Viviane é conhecer a Africa.
    Minha mãe trabalha no Grupo Coral aqui em Goiânia-GO Brasil, tem 9 anos, a empresa fechou contrato com um Hospital em Luanda, e minha mãe é uma das principais supervisoras do grupo, ela e mais 3 supervisoras, vão parar Luanda agora no final de outubro ja está tudo certo, a empresa vai bancar tudo e tals, porém fui contar isso para uma amiga hj e ela me disse que existe um preconceito muito grande com estrangeiros e maior ainda com brancos, e ainda que o indice de estrupos é altissimo, não sei como é, e é exatamente por isso que estou pesquisando e querendo falar com alguém que conheça bem sobre isso pra me falar, pq realmente fiquei com medo. Por favor se alguém que mora ou até mesmo vc ademar, puder me esclarecer sobre isso o mais rapido possivel, pq ela vai daki a 20 dias. Meu e-mail: jordania_geografia@hotmail.com
    pode deixar recado no meu blog tbm, aasabranca.blogspot.com
    agradeço desde já.
    Jordania Santos

    Reply
  14. Margareth

    Olá Ademar
    estive andando por aqui e encontrei o seu blog, sou angolana de gema e realista, tenho a dizer que no meu PaÍs existe muito preconceito pelos estrangeiros, acho que isso vemos um pouco em qualquer parte do mundo, principalmente brancos, mas as mentalidades estão mudando muito e eu ainda acredito numa Angola melhor, um País transformado aonde haverá igualdade de direito, acredito nessa juventude que tem força de estudar e trabalhar, que sairá do anonimato e que pessoas como o Vicente que não gostam da verdade mudem de comportamento.

    Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *