Tag Archive: fotografia

Viagem à Africa do Sul: Cape Town, superando as expectativas

Confira o post inicial: Viagem à África do Sul com o índice de todos os relatos da viagem realizada em dez/2007-jan/2008.

Estão disponíveis os álbuns de fotos:

Durante toda a viagem, era comum nos perguntarem pra onde estávamos indo. Quando respondíamos que nosso destino era Cape Town (Cidade do Cabo), a reação era sempre a mesma: “Oh, Cape Town é muito linda, fantástica, maravilhosa, vocês vão adorar lá, bla, bla bla”. Isso criou uma expectativa de que talvez a cidade fosse “overhyped”. Estávamos conhecendo tantos lugares bonitos e nos perguntávamos: será que Cape Town é tão mais mais assim?

E não é que chegando lá a gente concordou com tudo o que tinha ouvido? A cidade realmente tem as paisagens mais belas da África do Sul, é cortada por uma cadeia de montanhas (a principal delas a Table Mountain), tem um litoral com lindas praias e regiões rochosas, é muito bem organizada e tem uma ótima infra estrutura de turismo. É conteúdo pra semanas de passeios, mas infelizmente só nos sobraram dois dias na cidade, dias esses que tentamos aproveitar ao máximo.

Vista ao longo da estrada

Vista ao longo da estrada na região da Table Mountain

As regiões da Table Mountain e do Cabo da Boa Esperança são de longe as mais bonitas da cidade. As estradas contornam a serra à beira mar, formando uma paisagem fantástica. A cada curva uma vista mais bonita que a outra. O tempo estava perfeito e foi um grande prazer dirigir por essas estradas. No Cabo de Boa Esperança há vários pontos de observação, faróis e monumentos. É imperdível.

Aliás, contrário ao que muitos pensam, a divisão entre os oceanos Índico e Atlântico fica no Cabo das Agulhas (Cape Agulhas) (o ponto mais ao sul do continente africano) e não no Cabo da Boa Esperança (que é o ponto mais ao sudoeste). Cape Agulhas fica a 170km de Cape Town e passamos por ele após fazer um desvio da estrada principal que vem da Garden Route. Além de um marco na divisa dos dois oceanos que dá uma boa foto, não há muito o que ver por lá.

A Table Mountain tem um moderno teleférico e uma ótima infra estrutura de apoio. Nossa visita ao topo foi no dia 31 de dezembro e pra nossa surpresa nesse dia o horário é estendido até as 02:00hs pra quem quer passar a virada do ano lá em cima, com uma vista panorâmica da cidade. Não tivemos dúvida: voltamos até a casa onde estávamos, nos agasalhamos e subimos a montanha novamente. Lá de cima vimos o último por-do-sol do ano e os fogos (que não foram muitos) da virada.

Table Mountain

Table Mountain

Um outro local bastante movimentado na cidade é o Waterfront, um complexo turístico/comercial com restaurantes, lojas, feiras e que tem como principal atração um grande e belíssimo aquário. Nós nunca havíamos entrado em um aquário de grande porte e ficamos realmente impressionados. Havia uma variedade enorme de animais marinhos, além dos sempre simpáticos pinguins, algas e algumas outras aves.

Tubarão no Two Oceans Aquarium

Tubarão no Two Oceans Aquarium

É muita coisa pra relatar e o blog não tem espaço pra muitas fotos, então pra ter uma ideia melhor, confira os álbuns completos da cidade e do aquário.

Já a cidade em sí é como outra qualquer. O centro é moderno e bem movimentado e é possível encontrar de tudo um pouco, incluindo algum comércio de rua com produtos artesanais em geral.

Dicas e curiosidades:

  • A região tem muito a oferecer. Se for pra escolher apenas uma cidade pra visitar na África do Sul, escolha Cape Town;
  • Não visitamos a região dos vinhedos, mas eles são bastante famosos;
  • Não deixe de visitar o Two Oceans Aquarium no Waterfront;
  • O Cabo da Boa Esperança tem uma paisagem linda, mas não é a divisa entre os oceanos Índico e Atlântico;
  • Tem um ônibus de turismo que faz o city-tour em um ou dois dias. É uma opção bem flexível pra quem tem pouco tempo ou está sem carro;
  • A visita à Robben Island é muito concorrida. Em alta temporada, faça reserva com semanas ou até meses de antecedência;
  • Dá pra subir a Table Mountain no modo trekking, mas nos disseram que há um certo risco de assaltos. Se tiver tempo, deve ser uma boa opção;
  • Na virada do ano a Table Mountain tem um horário especial de visitação que se estende até às 02:00 da manhã;
  • Esperávamos um grande show de fogos na virada do ano, o que não ocorreu. Apenas alguns poucos fogos de artifício apareceram;
  • O entardecer e noite na Table Mountain são bem frios;
  • Como é comum na África do Sul, a água da praia é relativamente fria, mesmo no verão.

Voltando pra casa…

De Cape Town pegamos um voo para Johanesburgo onde novamente fomos hospedados pela nossa amiga couchsurfer Antoinette. Foi uma estadia rápida pois no outro dia pela manhã embarcávamos para o Brasil. No final já estávamos sentindo falta de casa (foram 45 dias pra mim e 25 dias pra Viviane), mas a África do Sul já deixava saudades mesmo durante o voo.

Indo embora

Indo embora

E assim terminam os relatos dessa viagem (demorou quase um ano e meio pra publicar esse último post!). Foi uma viagem intensa e excelente, sem qualquer contratempo ou momento ruim. Esperamos um dia retornar ao país, quem sabe com bem mais tempo pra conhecer os lugares que ficaram pra trás. :-)

Fotos e relatos atrasados…

Tenho andado um pouco desmotivado a escrever no blog no pouco tempo disponível e os rascunhos estão se acumulando. O ano está fechando e eu ainda não publiquei todos os relatos da viagem à África do Sul (são 14 rascunhos pendentes), nem da viagem à Foz do Iguaçu e muito menos da rápida ida à Miami.

Mas aproveitando o embalo de fim de ano e cumprindo com o objetivo primário desse blog, publiquei algumas das fotos pendentes deste ano:

Fotos de Foz do Iguaçu, Maio de 2008: Antes de nossa mudança de Curitiba pra Recife eu e a Viviane fomos até Foz do Iguaçu. Foram 4 dias de viagem com visitas aos seguintes lugares:

  • Usina Hidrelétrica de Itaipu
  • Parque Nacional do Iguassu – Argentina
  • Parque Nacional do Iguaçu – Brasil
  • Parque das Aves
  • Paraguay

Fotos de Miami, Novembro de 2008: Tive uma reunião de trabalho em Miami e aproveitei pra esticar a viagem por mais alguns dias pra conhecer melhor a região. Foi minha primeira visita aos EUA. As fotos são descompromissadas, praticamente todas no modo automático.

Fotos do Tiwa Eco Resort em Manaus, Novembro de 2008: Passei um final de semana em um hotel à beira do Rio Negro em Manaus (um evento do trabalho) e isso me rendeu algumas novas fotos.

Finalmente, na sequência estou publicando o próximo relato da viagem à África do Sul e as Fotos do Safari no Kruger National Park.

Fotos de Luanda – Angola

Confira o post inicial: Viagem à Angola e África do Sul com o índice de todos os relatos da viagem.

Antes de publicar os relatos da viagem à África do Sul, resolvi publicar as fotos de Luanda – Angola. A maioria delas foi tirada de dentro do carro, sem muito tempo pra caprichar na composição ou exposição, mas deu pra registrar alguma coisa.

Eu já postei algo sobre fotografia em angola anteriormente, mas agora publiquei o álbum completo: Fotos de Luanda – Angola.

make-photo-pages (mpp.py) 1.1

O mpp.py surgiu da necessidade que tenho de manter em sync minha página de fotos com meus álbuns gerenciados no Picasa (mais detalhes no post do primeiro anúncio público).

Hoje lancei a versão 1.1 do mpp.py. As grandes mudanças são a implementação de um cache do EXIF das imagens e muitas, mas muitas melhorias no código em geral.

Mais detalhes na página oficial:

download | documentation | examples

Fotografando em Angola

Update 2008-08-09: Já está disponível o álbum de fotos de Luanda – Angola.

Há muito o que fotografar por aqui. Não faltam curiosidades, peculiaridades e aspectos culturais a serem documentados. Mas há um obstáculo: fotógrafos em geral não são bem vindos pelas ruas, principalmente nós estrangeiros.

Como não há turismo e a população em geral é pobre, é incomum ver alguém andando com uma câmera fotográfica pelas ruas. Os colegas de trabalho angolanos me orientaram a tomar cuidado e disseram que em geral a população não gosta de ver fotógrafos “brancos” documentando os problemas daqui. Além disso, a lei proibe fotos de policiais, oficiais do exército e prédios públicos (!) e há algumas pessoas que creem que ser fotografado implica em “ter sua alma capturada” ou algo do tipo.

É realmente uma pena e me sinto um pouco frustrado. Todo dia vejo cenas dignas de serem fotografadas, mas nem ao menos estou carregando minha câmera (como disse em um dos primeiros posts, tenho uma SLR Canon Rebel XT, que é relativamente grande e chama a atenção). O jeito é documentar através de textos mesmo, pelo menos até eu me ambientar melhor e encontrar um “jeitinho brasileiro” pra resolver esse problema.

No primeiro dia tirei algumas poucas fotos, descompromissadamente, em locais com pouco movimento e de dentro do carro. Nenhuma delas é especial, mas seguem como amostra do (pouco) que fotografei por enquanto:

Passeando por Luanda

Passeando por Luanda

Sinais de reconstrução

Sinais de reconstrução

make-photo-pages (mpp.py) 1.0

Cerca de quatro meses depois do primeiro anúncio público, estou lançando oficialmente o mpp.py 1.0.

Não há grandes novidades (“features”), mas o programa agora está bem mais usável e estável, com cara de v1.0. Não tenho planos de fazer grandes mudanças no mpp.py. Melhorias devem aparecer de maneira orgânica, através de necessidades vindas de ademar.org/fotos ou contribuições. A principal possibilidade de melhorias é a adição de novos modelos, mas como sou um péssimo webdesigner, não me atrevo a ir além do basicão.

Mais detalhes na página oficial:

download | documentation | examples

Livro “Understanding Exposure”

Understanding Exposure: How to Shoot Great Photographs with a Film or Digital Camera - Bryan Peterson

Esse é mais um daqueles livros que eu descobri via recomendação da Amazon.com. E em poucas palavras, é um ótimo (e barato) livro técnico pra iniciantes em fotografia: Understanding Exposure: How to Shoot Great Photographs with a Film or Digital Camera – Bryan Peterson – ISBN 0817463003 (Amazon.com).

Gostei tando do livro que chego ao ponto de recomendá-lo até mesmo pra quem tem pouco interesse na parte técnica mas gosta de um livro bonito e que eventualmente possa ser consultado. O livro tem formato grande (28x21cm) e é recheado com algumas das melhores fotos do autor. Tanto é que minha esposa gostaria de deixá-lo sempre na sala, como “objeto de decoração”, eu é que não deixo. :-)

Mas vamos lá, do que trata o livro? É um livro técnico que através de belas imagens e um texto claro traz conceitos e dicas importantes pra quem já tem um conhecimento básico de fotografia. O autor cobre as principais técnicas (fotometria, profundidade de campo, abertura vs tempo de exposição, controle de luz, filtros, etc) e compartilha de sua valiosa experiência através de dicas e exemplos.

Minha única reclamação do livro é que achei que o autor poderia explorar um pouco mais as técnicas de uso do flash (ele confessa que gosta de luz natural e evita o uso do flash a todo custo).

Embora o livro traga boas explicações para inciantes, não o recomendo como introdutório. Se você não sabe a diferença entre f/8 e f/2.8 ou o que é Apperture Priority (Av), talvez seja melhor dedicar algum tempo a uma literatura um pouco mais básica. Eu gostei dos guias da National Geographic. Em particular, do National Geographic Field Guide: Secrets to Making Great Pictures, mas existem bons tutoriais na internet também (veja meu outro post sobre fotografia).

Já fiz o pedido de um outro livro do mesmo autor que parece ser um complemento deste, indo da parte técnica pra parte artística: Learning to See Creatively: Design, Color & Composition in Photography – Bryan Peterson – ISBN 0817441816 (Amazon.com). Aguardem pelo próximo review. :-)

make-photo-pages (mpp.py)

Depois de anos gerenciando minhas fotos utilizando uma versão ultra-hackeada do makethumbs.sh, finalmente tirei um tempo pra implementar meu próprio programa pra gerenciar os álbuns de fotos que disponibilizo em minha página (não, eu não gosto de usar o flickr). :-)

Creio que o principal diferencial do mpp.py é o suporte à geração de álbums a partir do XML exportado pelo Picasa(TM) do Google, mas segue uma lista de suas principais características:

  • Páginas 100% estáticas (sem sql, php ou cgi)
  • Baseado em modelos (templates)
  • Importa fotos via XML do Google Picasa(TM)
  • Importa fotos de um diretório local
  • Suporte a múltiplos idiomas (i18n)
  • Suporte a captions (texto sob cada imagem)
  • Suporte a texto/html arbitrário nos albums
  • Suporte a EXIF
  • Open Source
  • Simples, rápido, html limpo, CSS, etc…

Se você já tem o layout de sua página pronta e quer simplesmente adicionar as fotos nesse layout, o suporte a templates vem bem a calhar. E se você utiliza o Picasa(TM), a importação do XML é uma mão na roda. Se você não usa nada disso, deve gostar mesmo assim, pois de tantos milhões de programas pra gerar álbums na web, esse é sem dúvida o melhor de todos. ;-)

Testes em cenários diferentes são muito bem vindos.

Ah, a propósito, eu gerencio minhas fotos no Picasa(TM) e meu site é mantido num repositório SVN, então o que faço é exportar (XML) o álbum no picasa, rodar o mpp.py e subir os arquivos com o svn (svn commit, up, etc). Ficou bem prático, agora não tenho mais desculpas pra demorar tanto pra disponibilizar as fotos no site. :-)