Tag Archive: praia

Natal em São Miguel do Gostoso – RN

No feriadão de Natal resolvemos que seria uma boa ideia ir pra alguma praia desconhecida, pra descansar. A grande questão era pra onde ir, uma vez que queríamos um lugar bonito, tranquilo e pacato. Foi então que a Viviane se lembrou de ter visto no Jornal Hoje da Rede Globo uma matéria sobre uma cidadezinha do Rio Grande do Norte chamada “São Miguel do Gostoso”. Após uma rápida googlada, nos pareceu o destino perfeito.

São Miguel do Gostoso é uma pequena vila/cidade de pescadores 110km ao norte de Natal – RN. A cidade é a última a ser acessada pela BR-101 (ou melhor, a primeira, já que a BR-101 começa lá). A cidade é bem calma, com moradores muito amistosos e ainda pouco explorada turisticamente. Tem cerca de 9000 habitantes.

Pôr do sol em São Miguel do Gostoso

Pôr do sol em São Miguel do Gostoso

As praias
As praias são muito agradáveis, mas não são paradisíacas como as de Porto de Galinhas (PE) ou Maragogi (AL). A água é morna (como em todo o nordeste brasileiro) mas é relativamente turva, não dando pra enchergar os próprios pés com a água pela cintura.

Uma vantagem pra quem tem um 4×4, um buggy ou uma moto é que praticamente todo litoral é trafegável, então é fácil visitar várias praias ou procurar um lugar isolado.

Como as praias estão de frente pro norte, tanto o pôr quanto o nascer do sol são muito bonitos. Outra característica é que o vento lateral é constante e forte, o que faz o local ser perfeito pra esportes como kite-surf e wind-surf. O número de kites na Praia de Santo Cristo – um dos balneários da cidade – estava sempre entre 15 e 25, todos os dias.

Praia em São Miguel do Gostoso

Praia em São Miguel do Gostoso

Infra estrutura
A cidade é bem pequena – praticamente uma vila – e ainda tem pouca infra estrutura turística. Pra gente isso foi visto como vantagem, mas algumas pessoas podem sentir falta dos vendedores de praia, do característico som ambiente da maioria dos destinos no nordeste (NOT!) e da agitação da vida noturna. Por exemplo, existem 3 ou 4 restaurantes à beira mar em 4kms de praias e só encontramos duas lojas de artesanato (pequenas, no centro da cidade). O programa principal das nossas noites era caminhar pela pacata avenida observando/cumprimentando os moradores em suas varandas e tomar um sorvete de R$ 1,00 em uma das lanchonetes. :-)

O único sinal de celular na área é da Claro, mas as principais pousadas oferecem serviço de Internet via wi-fi. Não dá pra esperar muito, mas deu pra usar o skype pra ligar pra nossas famílias na noite de natal.

Mas não tivemos dificuldades: há pousadas suficientes e no centro existem mais restaurantes, pizzarias, padarias, supermercados, etc. Procurando no google você encontra rapidamente vários sites com informações turísticas em geral.

Nós ficamos na Pousada Porto do Trapiá que merece a nossa recomendação. É bem verdade que não conhecemos as outras, mas a qualidade do atendimento e das acomodações nos agradou bastante.

Não podemos deixar de mencionar que passeando pela cidade avistamos duas bibliotecas públicas. Tá aí um exemplo a ser seguido por mais cidades do Brasil. :-)

Passeio de Buggy
A melhor parte da viagem foi alugar um buggy e sair dirigindo pelas praias desertas. Rodamos um total de +- 80kms, quase sempre na areia à beira-mar. Pra quem gosta de aventura, é uma excelente opção (sempre há o risco do buggy atolar, quebrar ou ficar sem gasolina em um local deserto, mas acho que vale a pena). Outra opção é contratar o passeio com motorista, mas isso seria 80% menos divertido. :-)

Buggy numa praia deserta com uma sombra à beira-mar

Buggy numa praia deserta com uma sombra à beira-mar

Passeio de Buggy em São Miguel do Gostoso

Passeio de Buggy em São Miguel do Gostoso

Dicas e curiosidades gerais:

  • Venta bastante, geralmente um vento lateral. Com isso as vezes fica um pouco complicado comer na areia bem próximo do mar (a não ser que o que você queira seja comer a areia);
  • Se tiver espírito de aventura, não deixe de alugar um buggy e sair por conta própria. Se tiver uma caixa ou bolsa térmica, será perfeito;
  • Nós alugamos o nosso buggy com o “Pedrinho da Oficina”. R$ 100,00/dia. Foi muito tranquilo, ele nem sequer anotou nossos nomes na hora de entregar/receber os documentos e a chave;
  • A pizza e o ambiente da Pizzaria Quintal (na entrada pra Praia do Xêpa) nos agradou bastante;
  • O restaurante Caranguejo e Cia tem atendimento, preços e cardápio excelentes. Não é em qualquer lugar que se come, à beira mar, uma porção de macaxeira frita por R$ 3,00 e uma Cioba (peixe) por R$ 18,00. Fica ao lado da pousada Porto do Trapiá.

Nós ficamos 4 noites no total (23-27/dez) e achamos que foi de bom tamanho. Mais que isso só se for pra ficar realmente à toa descansando ou praticar kite ou wind-surf. Se você quer sossego, vai encontrar um bom ambiente lá.

Finalmente, confira o álbum de fotos de São Miguel do Gostoso – RN com as principais fotos da viagem.

Viagem à Ilha de Margarita :: Praias e Atrações da Ilha

Confira o post inicial: Viagem Manaus – Ilha de Margarita (Venezuela) com o índice de todos os relatos da viagem.

Ilha de Margarita: Praias e Atrações

A ilha de Margarita tem cerca de 1.000km² e há muito o que ver e experimentar por lá. Então é bom estar de carro, pois a mobilidade é essencial: as principais praias ficam longe da cidade, há belas estradas pra serem percorridas e o serviço de taxi, além de ruim, é caro.

Próximo à cidade de Juangriego

Próximo à cidade de Juangriego

Além disso, a vida noturna, que se concentra na região central da cidade, oferece cassinos, shoppings, restaurantes, bares, boates, etc. Ficar preso num hotel ou depender de taxi pra tudo deve ser um pouco frustrante.

Ficamos 3 noites em um hotel no centro da cidade de Porlamar e outras 6 noites em uma pousada próxima à “Playa el Agua”, no nordeste da Ilha. Nos três primeiros dias, conhecemos a cidade, suas lojas, shoppings e a cultura local. Quando fomos para a pousada, gastamos mais tempo nas praias e reservamos um dia exclusivamente pra percorrer as estradas da ilha e conhecer, nem que fosse apenas de passagem, todas as praias. No total, entre indas, vindas e passeios, percorremos cerca de 1.000km dentro da ilha.

Praias e mais praias

Bem, como em toda ilha, o que não falta em Margarita são praias. A mais conhecida e frequentada é a Playa El Agua. Muitos turistas americanos e europeus, muitas ofertas de passeios, mergulhos e comidas vindas do mar. A água é sempre clara e limpa, tendendo prum verde azulado. Há praias com ondas, praias calmas, praias de pescadores, praias desertas, praias exclusivamente de pedras e conchinhas… Enfim, praias pra todos os gostos. Compre um mapa e faça um planejamento de passeios. Os funcionários do seu hotel/pousada devem poder te auxiliar.

Praia cujo nome não lembro

Praia cujo nome não lembro

Próximo à Playa El Agua

Próximo à Playa El Agua

Parque La Restinga

No noroeste da ilha há um parque chamado “La Restinga”. O parque fica numa região de mangue e há passeios de barco que duram entre 45min e 3h. Fizemos o passeio mais curto e pudemos conhecer os canais e ver as praias da região. Foi um passeio rápido mais muito legal.

Passeio nos canais do Parque La Restinga

Passeio nos canais do Parque La Restinga

O mais interessante da região do parque é que há uma praia deserta, toda formada por conchas e pedras brancas. Em fevereiro de 2007, a estrada estava semi-bloqueada por uma erosão que devorou metade da pista na entrada, mas conseguimos entrar mesmo assim e pegamos o por-do-sol nessa praia, que nem consta no mapa. O local é muito bonito, pena que um pouco poluído por garrafas de plástico que vão se acumulando. A Viviane fez a festa na coleta de conchas e pedrinhas brancas: trouxemos duas sacolas cheias pra casa.

Praia de conchinas, deserta

Praia de conchinas, deserta

A caminho da praia de conchinas, região deserta

A caminho da praia de conchinas, região deserta

Hotéis, Restaurantes e Cassinos

Há vários hoteis de luxo e alguns cassinos. O cassino que visitamos e que parece ser o mais completo é o do Hotel Hilton, em Porlamar. Como bons e sortudos jogadores-pobres, gastamos Bs 15.000,00 (algo como R$ 10,00) e saímos de lá com Bs 38.000,00 (R$ 25,00). Ah, e aproveitamos os petiscos e show ao vivo, que são de graça. Uma pena que fotos eram proibidas no interior do cassino.

Cassino do Hotel Hilton

Cassino do Hotel Hilton

Se estiver por lá no período de alguma festividade, procure por eventos nos principais hotéis. Nós aproveitamos o Dia dos Namorados Internacional (“Valentine’s Day”, 14/fev) e fomos para um jantar romântico no Hotel Hilton. Foi nossa primeira experiência em um “restaurante chique” com cardápio francês e tudo mais. Recomendo. :-)