Discurso de Formatura (Homenagem aos Pais)

Com cerca de 2000 pageviews por mês, meu Discurso de Homenagem aos Pais é uma das páginas mais visitadas de meu site. Ele está longe de ser um grande discurso, mas como está público e sob uma licença CC, é comum eu receber e-mails de pessoas querendo utilizá-lo como inspiração e já houve até um caso de uma turma de jornalismo revoltada com a colega que utilizou o discurso sem dar os devidos créditos… Eu costumo brincar que algum dia ainda ouviria meu próprio discurso em alguma formatura por aí.

Pois não demorou. Recebi essa semana via e-mail o link pra um carinha lendo-o (na íntegra) em uma formatura de segundo grau.

Obrigado à Maria Manuela pelo link. E viva o youtube! :-)

Update 2008-03-12: Mais dois, mas dessa vez não são cópias integrais: http://www.youtube.com/watch?v=ovOQA8rvccc (só tem o final do discurso gravado) e http://www.youtube.com/watch?v=h7bLQ8DLsfU (esse ficou legal, ele só utilizou algumas partes do meu).

Retrospectiva 2007, planos pra 2008

No final de 2006 eu disse que aquele havia sido “sem dúvida, o ano mais agitado de minha vida”. Se 2006 ficou em primeiro, 2007 ficou em segundo. E espero que 2008 não deixe a desejar, pois 2007 foi um ano excelente.

O início do ano foi um pouco difícil, com o fim dos projetos em Manaus. Mas já em fevereiro acertei meu retorno pra Curitiba e antes do retorno saí de férias, encarando a viagem de Manaus até a Ilha de Margarita (item do TODO de 2007).

Em março eu voltava a Curitiba, onde fechei mais alguns itens do TODO: consegui uma conexão Internet de verdade, subi montanhas novamente e escolhi as fotos do casamento. As coisas estavam começando a se estabilizar quando surgiu uma nova fronteira a ser desbravada: Angola.

Foi no final de julho que eu embarquei pra África, um terreno desconhecido, um novo desafio. Foram 45 dias de bastante trabalho em Angola, mas um trabalho muito recompensador e uma grande experiência de vida. No final de novembro voltei para uma segunda jornada e pra fechar o ano, minha esposa foi passar uma semana comigo em Angola e depois embarcamos pra 18 dias de férias na África do Sul. Sem dúvida a melhor e mais inesquecível viagem que já fizemos até hoje. Tenho 4000 fotos pra selecionar e muitos relatos pra escrever – mas isso é assunto pros próximos posts.

Abaixo a revisão dos itens do TODO de 2007:

  • Fechar a escolha das montagens e fotos do álbum de casamento(!): OK, Outubro;
  • Conseguir uma conexão Internet (bem) melhor do que a de 33kbps atual: OK, 2Mbps, Março;
  • Retomar os estudos formalmente, de preferência um mestrado: NOK; :-(
  • Estudar bastante por conta própria (python, kernel, tcp/ip, c++, etc): Quase, longe do ideal;
  • Ir de carro até a ilha de Margarita (no Mar do Caribe – Venezuela): OK, Fevereiro;
  • Subir montanhas/acampar novamente: OK, mas longe do que gostaria;
  • Retomar meus projetos e contribuições open-source: OK, mas foi pouco: só o mpp.py e alguns pequenos patches;
  • Organizar melhor minhas fotos no site. OK (mpp.py + picasa);

E mais uma vez correndo o risco inerente à criação de um TODO de longo prazo, segue a lista resumida dos meus planos pra 2008, não necessariamente em ordem de importância:

  • Me envolver mais com projetos de pesquisa e desenvolvimento;
  • Sair do sedentarismo;
  • Visitar pelo menos um país que eu ainda não conheça;
  • Documentar a viagem à Angola e África do Sul;
  • Retomar os estudos, de preferência um mestrado;
  • Adquirir um sub-notebook (como o ASUS EeePC);

Aproveitando a oportunidade, desejo a você que está lendo um feliz 2008, mesmo estando meio atrasado. :-)

Mais sobre o projeto em Angola

Atualizando as notícias, estou em Angola novamente. Vim pra cá para o IT-Fórum, evento de TI realizado anualmente pelo governo daqui. Dessa vez devo aproveitar mais a viagem, pois minha esposa (que sonha conhecer a África desde criança) chega na semana que vem e antes de voltarmos ao Brasil passaremos algum tempo de férias na África do Sul, numa viagem que tem tudo pra ser mais do que inesquecível.

Mas o principal motivo desse post é divulgar um outro, feito pelo presidente da Mandriva, François Bancilhon, no blog oficial da empresa. O post contém uma atualização do status do projeto aqui em Angola e também um pouco sobre a cidade de Luanda.

Não vou prometer novos posts ao longo da viagem, mas com certeza farei um relato completo (como fiz da viagem a Margarita) assim que voltar ao Brasil.

CouchSurfing

Há cerca de um mês ingressei no projeto CouchSurfing, que tem como objetivo conectar viajantes e permitir o compartilhamento de experiências, usando como instrumento a oferta de livre hospedagem em nossas casas (uma espécie de intercâmbio). Descobri o projeto em 2006 através de um artigo no slashdot, mas só agora ingressei pra valer.

Nesse final de semana hospedamos nossos primeiros viajantes: um casal de estudantes americanos da região de Seattle que está de passagem pelo Brasil. Foi uma experiência excelente que eu espero que se repita muitas vezes. Além do que, de agora em diante, pretendo dar prioridade pra couch-surfers em todas as minhas viagens a turismo.

O projeto é mantido por uma organização sem fins lucrativos e é muito bem estruturado. Baseado na experiência que tive até agora e no que pude conferir do projeto, recomendo a todos os que tem interesse em conhecer pessoas e culturas diferentes e gostam de viajar.

Pra mais detalhes:

Anúncio do Projeto em Angola

Pra quem perguntou o que eu fui fazer em Angola (já estou no Brasil, mas volto pra lá no fim do ano), o projeto finalmente foi anunciado ao público:

Novidades de Angola

Faz tempo que não escrevo nada sobre a viagem de Angola. A principal razão é que ando desmotivado para escrever algum relato. Tenho alguns rascunhos, mas pelo jeito os posts só serão publicados depois que eu já estiver no Brasil.

De qualquer modo, por aqui está tudo indo bem. O trabalho está rendendo, já consegui tirar várias fotos (de qualidade questionável, mas enfim) e fiz alguns passeios pela região.

Nessa semana finalmente volto pro Brasil. Estou contando as horas pra chegar em casa logo e rever minha esposa que eu tanto amo, meus amigos, meu país. Na bagagem levo muitas histórias de uma experiência que tem sido excelente e deve render alguns posts.

Até!

Belas Shopping – Luanda

Inaugurado em março deste ano, o Belas Shopping é um símbolo da reconstrução de Luanda/Angola. O shopping ainda é pequeno quando comparado aos padrões brasileiros, mas não deixa a desejar na qualidade das instalações. É um shopping muito bonito e agradável e seu projeto inclui futuras expansões. Tem 8 salas de cinema (stadium, comparáveis aos Cinemarks do Brasil), praça de alimentação e um bom supermercado.

Fachada Belas Shopping - Luanda

Fachada Belas Shopping - Luanda

Interior Belas Shopping - Luanda

Interior Belas Shopping - Luanda

O único inconveniente do shopping é que fica em uma região um pouco isolada da cidade, distante do centro e do trabalho e moradia da maioria da população. É uma região que está toda em obras e no longo prazo deve se tornar uma parte nobre da cidade, pois no caminho encontramos várias condomínios e outros grandes estabelecimentos em construção.

O Cinema

Hoje tivemos mais uma falta de luz em casa e resolvemos ir até o shopping assistir um filme pra matar o tempo. Estavam disponíveis os principais lançamentos da atualidade (Transformers, Ocean’s 13, Harry Potter, Quarteto Fantástico, etc), mas receoso, escolhi um filme qualquer: Pulse, um suspense básicão que acabou não sendo de todo ruim.

Cinema - Belas Shopping

Cinema - Belas Shopping

Como pode ser visto na foto que tirei rapidamente, a parte exterior lembra muito os cinemas brasileiros: monitores de Plasma/LCD, amplas bilheterias, pipoca, etc. A sala que visitei (número 4) era muito boa e não deixa em nada a desejar frente às salas tradicionais do Brasil (som Dolby Digital, poltronas confortáveis, formato stadium, etc). Fiquei positivamente surpreso.

O preço é um pouco salgado: USD 8,00 por sessões iniciadas até as 18:00h e USD 16,00 pelas sessões após esse horário.

O Supermercado

Anexo ao shopping está o supermercado Shoprite. É um bom supermercado, aparentemente a melhor escolha em Luanda. É relativamente pequeno, então não há tanta variedade de produtos, mas suas instalações são novas e o atendimento no geral é bom.

Fachada Supermercado Shoprite

Fachada Supermercado Shoprite

Livro “Inside the Machine”

Inside the Machine: An Illustrated Introduction to Microprocessors and Computer Architecture

O livro Inside the Machine: An Illustrated Introduction to Microprocessors and Computer Architecture, de Jon Stokes (editor da Ars Technica), traz uma introdução de arquitetura de computadores – linguagem de máquina, pipelines, execução especulativa, processamento superescalar, caches, etc – e cobre em detalhes o funcionamento de vários processadores, começando pelo Intel Pentium e indo até o Intel Core 2 Duo.

O autor resolveu fazer um paralelo entre as famílias Intel e PowerPC, discutindo em detalhes processadores dessas duas linhas. Isso me desagradou um pouco, pois não tenho qualquer familiaridade com PowerPCs e, uma vez que a Apple resolveu adotar processadores da Intel, o uso dos PowerPCs tende a ficar restrito a alguns nichos.

O livro é relativamente pequeno (270 páginas), e deixou um “gostinho de quero mais”, pois ainda havia espaço pra discutir muitos assuntos. Em particular, senti falta de mais discussões sobre os processadores da AMD. Há apenas uma rápida explicação sobre o Athlon x86-64 no capítulo sobre computação de 64 bits, mas muito superficial se comparada ao espaço dedicado aos outros processadores.

Mas o livro no geral é muito bom. O autor usa uma linguagem clara e inclui várias ilustrações. Recomendo-o como livro introdutório a arquitetura de computadores e pra quem tem curiosidade sobre os detalhes de funcionamento dos processadores lançados na última década. É uma boa companhia pro livro Computer Organization and Design, a bíblia da arquitetura de computadores.

Espero que mais livros nessa linha sejam lançados. Um que cubra a evolução e funcionamento dos processadores gráficos (GPUs), por exemplo, será muito bem vindo.